ALIENAÇÃO PARENTAL: UMA DAS FACETAS DA VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE EM PROCESSOS JUDICIAIS

  • Wanderléia Pereira Gomes Gaidarji Univel
  • Eugênia Aparecida Cesconeto
  • Zelimar Soares Bidarra

Resumo

Resumo: A violência está presente no cotidiano humano e pode se configurar de várias formas: física, sexual, psicológica e negligência e pode ser praticada em diversos espaços. O agressor pode ser qualquer pessoa, enquanto que a vítima, geralmente, tem como características principais a sua hipossuficiência e vulnerabilidade. Dentre este grupo encontra-se um alto número de crianças e adolescentes, que, assustadoramente, em muitos casos, são vítimas em seus próprios lares e têm como agressor um familiar. Nessa seara, esse trabalho tem como objetivo apresentar a violência psicológica, reconhecida como alienação parental, que fere o direito fundamental da criança e do adolescente da convivência familiar saudável, presente em alguns processos judiciais, posto que nessas situações observa-se que a prole é apreendida como “objeto”, utilizada em muitos casos como “moeda de troca” a fim de satisfazer o interesse de adultos. A metodologia pauta-se na pesquisa bibliográfica e pesquisa de documentos públicos, especificamente algumas decisões jurisprudenciais.


 

Publicado
Nov 29, 2017
Como Citar
GAIDARJI, Wanderléia Pereira Gomes; CESCONETO, Eugênia Aparecida; BIDARRA, Zelimar Soares. ALIENAÇÃO PARENTAL: UMA DAS FACETAS DA VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE EM PROCESSOS JUDICIAIS. Revista de Estudos Jurídicos e Sociais - REJUS ON LINE, [S.l.], v. 1, n. 01, nov. 2017. Disponível em: <http://www.univel.br/ojs/index.php/revista/article/view/18>. Acesso em: 21 jan. 2018.