Institucional

Jeitinho Italiano

Jeitinho Italiano

Não basta ser bom aluno, é preciso dar um jeitinho de entender tudo que o professor italiano fala e adquirir todo o seu ensinamento. É meus amigos, não é fácil! Um enrosco ali, um “o que ele disse” lá e assim vai, mas o que não dá pra negar é: Que alegria ter a oportunidade de aprender com grandes chefs internacionais!

Nesse ano já passaram pela Univel diversos profissionais de renome e vasta experiência profissional, e não podia faltar, é claro, o Chef italiano Enzo Ambrosetti, que ministrou a aula de “Cozinha Italiana”.

“Vamos trabalhar nessa disciplina as diversas regiões da Itália, desde o bacalhau, as carnes marinadas no limão e as frutas secas que são muito utilizadas no inverno da Itália”.

O professor  é graduado em Gastronomia pelo Instituto Profissional de Hotelaria de Fiuggi Terme, na Itália. Especializado em Culinária Regional e Confeitaria pelo Instituto de Hotelaria Maggia, na Suíça. Suas áreas de atuação profissional são: Buffets, Eventos e Aulas de Culinária. Com vasta experiência internacional, trabalhou na Inglaterra, Alemanha, China, França e Suíça, e é também membro da Federação Italiana de Cuochi (FIC-Itália).

“Cheguei nesta cozinha  e me assustei. Ela é impecável e os alunos precisam disso, aqui tem tudo o que um profissional vai encontrar no mercado e isso é muito importante. Desde os objetos de higiene e saúde que são importantes até os fogões, as tábuas coloridas para cada alimento, tudo muito profissional, difícil de se encontrar no Brasil, eu fiquei maravilhado, pois o aluno sai daqui já preparado para o mercado de trabalho”, comenta o chef que é proprietário do restaurante Taverna Italiana em Curitiba e de outro  restaurante em Londres. Enzo também dá aula de gastronomia por todo o Brasil e tem uma escola de Gastronomia em Curitiba!

E com todos esses empreendimentos ainda arrumou um tempinho para vir até a Univel repassar um pouco do seu conhecimento para os alunos de Gastronomia. “Uma coisa que eu aprendi na vida e meu pai me ensinou, é que vamos passar mais tempo na cozinha do que com nossa família, ou em casa. O nosso reino é a cozinha, então depois de passar 14, 15 horas ali não tem nada melhor do que ser feliz, brincar, mas sem perder a concentração daquilo que se faz. Eu gosto de brincar com os alunos e deixar eles a vontade, eu sempre estarei pronto para auxiliar e corrigi-los”, ressalta o professor. “Ser feliz é importante por que nos dá mais vontade de trabalhar”, finaliza.

Espaço Cultural Univel
Professor de Direito participa de obra sobre CPC