Institucional

Polinizando Saberes: Acontece o Curso Básico de Criação de Abelhas Sem Ferrão da Univel

Polinizando Saberes: Acontece o Curso Básico de Criação de Abelhas Sem Ferrão da Univel

 

O curso teve como intuito compartilhar informações sobre a criação e manejo de abelhas sem ferrão. Além da parte teórica, foi realizada a parte prática, em que os alunos confeccionaram ninhos-isca, dentre outras atividades

 

A prática de Meliponicultura, que trata-se da criação de abelhas sem ferrão, como a Mandaçaia, Jataí e Mirins, tem se popularizado e atraído cada vez mais interessados, principalmente aqueles que desejam adotar princípios de preservação do meio ambiente e sustentabilidade. Considerando este contexto, o Projeto Polinizando Saberes do Centro Universitário de Cascavel - Univel, realizou o 1° Curso Básico de Criação de Abelhas Sem Ferrão.

O curso foi dividido em parte teórica e parte prática. Na parte teórica, os acadêmicos que participam do projeto abordaram temas sobre a importância das abelhas para humanidade, legislação aplicada a abelhas, principais espécies de abelhas sem ferrão, biologia básica das abelhas. Na parte prática, os participantes do curso aprenderam a confeccionar ninhos-isca para captura de abelhas sem ferrão, transferência de enxames do ninho-isca para caixa de criação racional, manejo e cuidados básicos. 

De acordo com o coordenador do projeto Polinizando Saberes, Edvaldo Geraldo, o desenvolvimento do curso teve como objetivo capacitar os interessados, o manejo básico, a criação racional de abelhas sem ferrão, dessa forma incentivando e conscientizando sobre a importância desta temática. “A relevância do tema das abelhas é justificado pelo seu papel  polinização, um dos serviços ecossistêmicos mais importantes para a humanidade. A conscientização e o incentivo da criação destes animais são de extrema importância para regeneração e manutenção do meio ambiente”, ressalta Edvaldo. 

O acadêmico de Medicina Veterinária da Univel, Alison Patrick Lopes da Silva, possui um ninho de abelhas em casa e o curso foi uma oportunidade para aprofundar conhecimentos teóricos e práticos. “O mestre Edvaldo Geraldo é meu professor e sempre conversamos sobre as abelhas. Em casa eu já tenho um ninho, mas nunca tinha aprendido a fazer a captura delas, então pelo fato do curso ensinar a parte prática, me chamou muito a atenção. As aulas do professor são maravilhosas, então o curso seguiu o mesmo padrão, achei muito interessante e proveitoso, valeu muito a pena ter participado”, conta Alison. 

Uma das participantes do projeto, a produtora de alimentos orgânicos Rosana Simonela Galina, que veio de Toledo para Cascavel para participar do curso e aprender ainda mais o manejo das abelhas sem ferrão e como elas podem auxiliar na sua produção. “Eu fiquei muito feliz quando soube do projeto e do curso, é muito bom que tenha isso na região. Eu tenho uma chácara em Toledo e sou produtora certificada de alimentos orgânicos e já tenho algumas abelhas sem ferrão, mais especificamente a Jataí, porque a gente entende a importância das abelhas em toda produção, principalmente dentro do cultivo da agroecologia”, ressalta Rosana. 

“Eu tenho um projeto de vida, que é ter várias caixas de abelhas, para ajudar na minha produção, porque cultivo morango, tomate e várias outras hortaliças, tenho certeza que as abelhas vão ajudar muito para melhorar a qualidade dos frutos e também da vizinhança toda. Além de que eu tenho a intenção de comercializar o mel, mas acima de tudo o nosso intuito é trabalhar em parceria com a natureza, pensando no futuro”, conta Rosana. 

Além do coordenador do projeto, os alunos envolvidos também auxiliaram no desenvolvimento das atividades do curso. Uma delas é a acadêmica Natasha Idiane Welter, que anteriormente não tinha contato com abelhas sem ferrão, mas que após conhecer o projeto e os seus objetivos, surgiu o interesse por participar e aprofundar seus conhecimentos nesta temática. “Eu nunca tive muito contato com as abelhas sem ferrão, só sabia da sua importância para polinização. Quando fiquei sabendo do projeto, logo fui conversar com o professor Edvaldo e ele me falou um pouco sobre os objetivos previstos como, levar a educação ambiental para a comunidade, mostrar a importância das abelhas sem ferrão e que podemos ajudar a manter o número de espécies nativas, criando de forma legal em casa. E isso me levou a ter um maior interesse em conhecer mais sobre elas”, declara Natasha.

Para Natasha, auxiliar no curso foi uma oportunidade de compartilhar o conhecimento adquirido durante os encontros do projeto. “Acredito que precisamos passar esse conhecimento sobre as abelhas sem ferrão, pois são abelhas sociais que podem conviver com a gente sem trazer algum tipo de risco, tanto que podem ser criadas em casa como pet. São ótimas companhias para passar o tempo enquanto observamos elas trabalharem e ainda podemos usufruir de seus produtos naturais como mel e a própolis”, ressalta. 

A participante do projeto e que também auxiliou na realização do curso, Luiza Kopchinski Braga, acredita que trazer a divulgação desse tipo de conteúdo seja de extrema importância porque traz o entendimento acerca de espécies que são nativas do Brasil e das quais muitas pessoas não têm conhecimento. “No Minicurso que oferecemos citamos diversos exemplos de benefícios que se pode ter com a criação de abelhas sem ferrão, como a polinização e a obtenção do mel, que, no caso das Abelhas Jataí por exemplo, tem elevadas propriedades antimicrobianas”, explica Luiza. Também foi realizada uma parceria com a Itaipu Binacional, na qual foram distribuídas mudas de árvores nativas aos participantes do curso

 

Por: Núcleo de Comunicação

07.12.2021

Univel realiza a 1° Jornada de Odontologia (JOU)
Acadêmicos do curso de Administração da Univel apresentaram soluções para resolução de problemas e desafios de instituições da saúde locais